Edifício Invisível

Tantas vezes trabalhei nessa construção
Até perdi a conta
Acredito que já foram milhares de quilômetros
Andares, aranha céus
E tudo o que consigo é ser invisível cada vez mais.
O que adianta trabalhar em algo invisível?
Só se torna visível quando você não comparece ao trabalho
Panelas, pratos e talheres só são vistos quando estão sujos
Quem se importa com quem os lava?
Isso nem é trabalho
Principalmente se é na própria casa
Só é trabalho se você sai às 05:00 da manhã
Acordar às 04:00 da manhã, fazer almoço e limpar cozinha, ah! Isso não vale
Isso não tem valor
Todos os dias ergo várias paredes de pratos, garfos e panelas
Mas nem chega ao fim do dia e essa parede já está no chão
Como se nada tivesse sido feito
Então começo de novo, de novo e de novo
Estou cansada de edifícios invisíveis e sem valor
Lavar, passar, cozinhar, cuidar dos filhos são os objetos dessa construção
Que só são vistos quando deixados de lado, sujos, entulhados e desarrumados
Se não os limpamos, aí sim nos tornamos visíveis
Até mais do que gostaria de ser
Esta construção está me desconstruindo
Estou me deteriorando
Não pelo trabalho que é
Mas pela falta de valor que lhe é dado
Principalmente por quem dorme ao nosso lado.

Fabiana Rodrigues Oliveira
Créditos da Imagem: Time Out

Anúncios