Compartilhando Experiências

Em uma conversa com uma das minhas filhas, eu tentava explicar a ela o porque dos conflitos interpessoais dentro da nossa própria casa, mais precisamente entre ela e os irmãos. Dizia que é impossível querer que alguém se comporte como nós, que não devemos ficar querendo ganhar estrelinhas porque fazemos a coisa certa, isso e um fato que ocorrera na vida de todas as pessoas, porem em tempos diferentes, cada um tem o seu tempo para entender melhor o porque de cada coisa, e precisamos aprender a respeitar isso para minimizar os efeitos colaterais por conta das diferenças. É engraçado, como entramos em contradição e nem percebemos, de repente me dei conta que o que eu estava tentando fazer ali, era exatamente o que eu tentava explicar a ela no intuído de que ela entendesse o porque de tais conflitos, fiquei triste ao vê-la relutar, naquele momento eu me esquecia da regra principal, a de respeitar o tempo dela entender isso, ela só tem 16 anos, se comparada a mim que tenho 37 e que somente a pouco tempo entendi isso. Nos esquecemos que o tempo é primordial para a evolução. Então disse a ela o seguinte: eu respeito que você não entenda isso agora, mas eu te peço que não se esqueça do que eu disse, não é uma verdade absoluta, mas pode ser um bom ponto de partida para novas inovações do pensamento, e que podem ajudar a entender melhor a sua geração. Fazer o que é certo é nosso dever, para não que sejamos condenados por nossa própria consciência, e para isso precisamos viver em busca pela verdade, pois só ela é capaz de libertar, já dizia JESUS CRISTO.

Fabiana Rodrigues Oliveira
Créditos da Imagem: Desconhecido