O banco da vida

Imagine você. Imagine se você tivesse depositado na sua conta de banco, todos os dias, R$86.400,00 (oitenta e seis mil e quatrocentos reais), que você deveria gastar ao longo do dia, porque no final do dia essa conta seria zerada, e no dia seguinte, mais R$86.400,00 (oitenta e seis mil e quatrocentos reais) seriam depositados.

Todos nós somos clientes desse banco! Esse banco chama-se tempo. Deus nos dá 86.400 segundos pra serem vividos da melhor maneira possível. Amando, aprendendo, ensinando, caindo, levantando, vivendo! E pra saber o valor de ano você pergunta à um garoto que repetiu de ano, saber um valor de um mês, você pergunta à uma mulher que teve um filho pré-maturo, de uma semana, um editor de um jornal semanal, de um dia, pessoas tem tarefas árduas pra serem feitas nesse dia. Saber o valor de uma hora, pergunte aos amantes que não veem a hora de se encontrar. Saber o valor de um minuto, à quem perdeu um avião. De um segundo, quem conseguiu evitar um acidente de trânsito. Pra saber o valor de um milésimo de segundo, pergunte ao atleta, que ganhou medalha de prata nas olimpíadas.

Por isso não desperdice o seu tempo, ele é o seu bem mais precioso, que é com ele que você vai compartir com as pessoas que você mais ama, seus filhos, suas esposas, seus maridos, suas mulheres, seus avós, e a gente só se dá conta quando a gente perde! Eu tinha tanto beijo pra dar! Eu tinha tanto abraço! A gente tem que viver o agora!
Não adianta a gente pesar que lá no futuro, por quê lá no Éden, no Jardim do Éden… ou tu bota 200 bombas tu vai ter 300 virgens pra ele pegar quando morrer. Não. É o agora. O ontem é história. O amanhã, um mistério. O hoje, é uma dádiva!

Por isso que se chama presente: presente de Deus!

Autor desconhecido
(Trecho recitado por Nelson Freitas no programa Domingão do Faustão)
Créditos da Imagem: Arsenal Empreendedor

Anúncios